Mostrar todos os artigos

Um Cuidador pode ser Formal ou Informal.

O Cuidador Informal é um familiar, amigo ou vizinho que por obrigação, sentido de dever ou ligação emocional, toma conta de um Idoso ou pessoa dependente sem ter necessariamente formação ou conhecimentos específicos da área. Sem fazer disso a sua atividade profissional.

O Cuidador Formal é uma pessoa que tem conhecimentos, teve formação e experiência comprovada nas mais diversas áreas relacionadas com o Cuidado a Idosos e pessoas dependentes tendo como principal objetivo proporcionar-lhe a melhor qualidade de vida. Na maioria das vezes é um prestador de serviços pago para atender às necessidades de um Idoso ou adulto dependente. Pode também ser voluntário ou parceiro de uma organização sem fins lucrativos.

Os Cuidadores da Culsen® são escolhidos e integrados na Equipa após passarem por um processo de recrutamento, entrevistas e comprovaç ão de experiência. Sabemos que receber uma pessoa "estranha" em casa requer um enorme voto de confiança e fazemos, por isso, o maior esforço para que se enquadre nas necessidades e nas preferências dos nossos clientes.

Gostamos da expressão "Cuidar é  um Desporto de Equipa". Para além da articulação diária necessária entre os Cuidadores e a Equipa Técnica do nosso escritório, o(s) novo(s) Cuidador(es) tem de conhecer os hábitos e rotinas do Idoso bem como aprender como lidar com este junto dos seus Cuidadores Informais/Decisores.

Algumas  dicas para os Cuidadores que vão entrar em casa de um novo Cliente são:

Ser Respeitoso

Ter respeito pela pessoa de que vai cuidar, ter respeito pelo espaço em que vai trabalhar e ter respeito pelos Cuidadores Informais com que terá de lidar. Estes fazem parte, na maioria das vezes, da família do Idoso e infelizmente apresentam muitas vezes sinais de cansaço e depressão, perda de equilíbrio nas suas relações e medo ou receio de mudanças.

O modo como o Cuidador vê o Idoso, os preconceitos e estereótipos que possui influencia inevitavelmente a forma de relacionamento com o mesmo. Por isso damos especial atenção a outro fator muito importante que provém de uma característica inata ou aprendida.

Ter Empatia

A empatia não é simpatia. Não é só ser capaz de se colocar no lugar do outro, é também ter a capacidade de se identificar com ele, perceber porque age de certa forma, ser paciente e não julgar.

Temos um quadro no nosso escritório que nos lembra todos os dias da  melhor qualidade que existe e diz o seguinte:

"Empatia não é sentir pelo outro mas sentir com o outro.
É quando 
lemos o guião de outra vida. É ser ator noutro palco.
É compreender. É não dizer "eu sei como te sentes".
É 
quando não diminuímos a dor do outro. É descer até ao fundo do poço e fazer companhia a quem precisa.
Não é
ser herói, é ser amigo. É saber abraçar a alma."
João Doederlein

O rigor de horários e cumprimento das regras de funcionamento interno é muito importante bem como ter sempre em mente que devemos tratar os outros como gostaríamos de ser tratados.

Entendemos que os grandes desafios para um novo Cuidador estão ligados a obstruções de comunicação e interação com o Idoso (com ou sem demência), lidar com distúrbios comportamentais, a falta de tempo pelo acumular de tarefas e o planeamento de atividades. Muitas vezes a interação com os familiares e o pouco envolvimento destes na dinâmica que tentam desenvolver dificulta também o seu trabalho.
Todos juntos, Equipa Técnica, Cuidadores Formais e Familiares, conseguimos superar estas dificuldades com a entre-ajuda e a partilha de informação.

Como já referimos, quando o Cuidador Informal apresenta o novo Cuidador ao seu Idoso tem não só de reorganizar as tarefas e de as apresentar ao novo Cuidador como terá também de aprender uma nova rotina e atividades da vida diária com o tempo "livre" com que fica.

A tarefa de Cuidar é extremamente positiva tanto para a família como para o Idoso e traz consigo um sentido de missão e sentimento de satisfação mas, por vezes, este contexto é tudo o que o Cuidador Informal conhece e acaba por ficar desgastado se não delegar esta função a mais ninguém.

É muito importante que tanto o Cuidador Formal como o Informal, sejam capazes de ter tempos livres, centrados em si mesmos e na sua família, amigos e atividades que gostam de realizar. O tempo de descanso é também extremamente importante para uma manutenção do equilíbrio mental e físico. Só estando bem conseguirá cuidar do outro.

Os Cuidadores Formais são treinados para saber lidar com o Stress e a carga emocional que este trabalho acarreta mas não devem esquecer como é importante uma alimentação  e exercício físico adequados. Podem, por vezes, ajudar os Cuidadores Informais a ultrapassar barreiras de comunicação com o Idoso, ensinar algumas formas de lidar com o nervosismo e o cansaço.

Lembre-se que a equipa técnica da Culsen® está presente para facilitar o processo de integração e agir como mediadora entre os  nossos Cuidadores e a família dos nossos Clientes. Não hesite em contactar-nos para mais informações.


Entre em contacto connosco

Os campos com * são de preenchimento obrigatório