Mostrar todos os artigos
  A progressão da idade altera o nosso corpo de variadas formas. Estas alterações trazem consigo necessidades especiais e afetam o desempenho de todos os sistemas do organismo.

  A alimentação cuidada e equilibrada pode prevenir e atrasar vários processos menos positivos e tem a grande função de suprir todas as diferentes necessidades nutricionais de todas as fases etárias.

  As grandes mudanças relacionadas com a idade são geralmente enquadradas de um ponto de vista sensorial, fisiológico e de progressão etária comum. Estas originam alterações ao tipo de alimentação realizada.

As transformações sensoriais de audição, olfacto e paladar, têm um grande impacto na forma como o Idoso se relaciona com os alimentos.

  Não conseguir ouvir uma conversa durante a refeição pode isolá-lo e levá-lo a associar a experiência a um sentimento negativo e vê-se limitado nas suas escolhas.

  A perda ou alteração de olfacto e paladar estão intimamente relacionadas e impactam diretamente a escolha de alimentos, a satisfação na hora da refeição e causam a perda de apetite.

  As mudanças fisiológicas como a perda de energia ou funções de órgãos, originam uma necessidade obrigatória de atençã o a diferentes nutrientes e são, por vezes, caracterizadas por carências muito específicas.

  Alterações gerais da idade como a perda de mobilidade, modificação da dentição, diminuição do gasto energético e modificações gastrointestinais (gastrite crónica, obstipação, etc.), entre outras, têm um impacto substancial na quantidade e qualidade de nutrientes necessários.

  Uma alimentação saudável é fundamental para uma boa qualidade de vida, para a vitalidade, a força muscular e o funcionamento do cérebro. Infelizmente, por várias razões, muitos Idosos não se alimentam de forma correta. Estão, muitas vezes, subnutridos e, em alguns casos, um défice calórico pode confundir-se com outras doenças.

  A subnutrição é caracterizada pela deficiência na alimentação e pode ocorrer mesmo quando há ingestão em demasia. O que acontece é que, mesmo quando um Idoso se alimenta em excesso, pode não ingerir todos os nutrientes de que necessita.

  As deficiências de nutrientes e vitaminas podem acontecer por vários motivos e entre estes encontram-se também fatores sociais como a perda de um companheiro que anteriormente se encarregava das decisões alimentares, solidão, depressão, problemas financeiros e falta de informação.

  Quais são, então, os cuidados a ter?

  1. É muito importante limitar e, se possível, eliminar as gorduras saturadas. Privilegie as gorduras que ajudam na atividade cerebral de processamento de informação e memória.

2. Diminuir o consumo de sal, enchidos e fumados é essencial para uma boa saúde do coração.

  3. Manter o nível de açúcar no sangue equilibrado é das maiores preocupações, bem como ingerir uma boa fonte de proteína, de preferência de origem vegetal.

4. A fruta e os vegetais são ótimas fontes de vitaminas essenciais como a Vitamina C, o ferro e o cálcio.

  5. Não se esqueça das leguminosas e cereais!

  Em casos em que haja dificuldade de mastigação e deglutição, pode ser necessário adaptar a consistência dos alimentos para uma boa digestão.
 
  Acreditamos, sim, que é deveras importante apostar na medicina preventiva e em bons hábitos alimentares. Desta forma, a Culsen® está presente na casa do seu familiar mais velho e presta especial atenção à sua alimentação, colocando a sua saúde sempre em primeiro lugar.
 

Entre em contacto connosco

Os campos com * são de preenchimento obrigatório