Mostrar todos os artigos

Para muitas pessoas, a chegada à Terceira Idade é assustadora, uma vez que associam o período a aspetos negativos e relacionam-no diretamente com o fim da vida. Mas esta é apenas mais uma fase que pode e deve ser recheada de conquistas e boas experiências.

As crenças que rodeiam a Terceira Idade fazem com que os próprios Idosos, os seus familiares e Cuidadores possam encarar este período com dificuldade. Conhecer a realidade e desmentir mitos injustos é fundamental para que possamos cuidar sem reduzir este grupo da população a sombras da sua própria existência.

São 5 destas ideias erradas que vamos tentar desmentir hoje:

5 Mitos sobre a Terceira Idade

O Idoso é um incómodo

Não! Mesmo quando o Idoso tem Demência e/ou está acamado, necessitando de apoio para todas as tarefas diárias, a sua essência, o seu sorriso e a sua vida têm um valor imenso. Todos os momentos devem ser aproveitados para lhe proporcionar o maior bem-estar e estimular a sua interação, com o objetivo máximo de respeitar o seu passado e o seu legado. O Idoso tem sabedoria e experiência que pode transmitir às gerações mais novas, mesmo em momentos do quotidiano que parecem não ter importância. Esteja atento e absorva o conhecimento como uma esponja.

O Idoso tem de ficar dentro de casa

Não! O Idoso tem autonomia e independência. Grande parte das pessoas mais velhas não necessita de ajuda para se deslocar, optando muitas vezes até ainda por conduzir, realizar as suas compras, visitar entes queridos, frequentar aulas e viajar. Mesmo os Idosos com mobilidade reduzida, já dispõem de ajudas de marcha e equipamentos elétricos que lhes permitem passear e manter a qualidade de vida. O Idoso não deve esconder-se nem ser escondido. É importante preservar a sua rotina de saídas o maior tempo possível.

O Idoso é menos criativo e produtivo

Não! O Idoso consegue aprender coisas novas. Muitos Idosos frequentam aulas de pintura, escrita e arte floral. Muitas pessoas que gostam de fotografia continuam a sair para fotografar. Muitos usam o seu tempo para fazer voluntariado. A reforma não é sinónimo de paragem. Em condições normais, o ser humano continua a ser capaz de realizar atividades que lhe interessam, com algumas modificações e adaptações.

O Idoso é frágil

Não! Cada Idoso tem um passado e um corpo diferentes e uma personalidade própria. O corpo humano passa por várias mudanças ao longo do tempo como o envelhecimento de órgãos e tecidos e a alteração no funcionamento dos vários sistemas. Na Terceira Idade tudo isto pode significar sintomas como a suscetibilidade à desidratação, perda de flexibilidade, menor capacidade auditiva e condições como a hipertensão, diabetes ou osteoporose que causam impacto real na qualidade de vida dos Idosos. No entanto, a ciência e a medicina já nos permitem contornar a maioria destas situações e viver bem e com felicidade. Além disto, apesar de ser verdade que há tendência para a perda de massa muscular, se continuar a realizar exercício físico mantém capacidades durante mais tempo.

O Idoso vai perdendo a memória

É verdade que podem existir alterações ao nível do cérebro durante o processo de envelhecimento com certas doenças e condições mas não é correto assumir que todos os Idosos perdem a memória. Todas as pessoas possuem a capacidade de esquecer porque o cérebro não consegue guardar toda a informação. Isto é um processo normal. Quantos mais anos vivemos mais memórias guardamos e pode ser mais difícil recordar eventos do passado que não nos marcaram. O mais importante é manter-se ativo mentalmente com atividades e jogos e estimulação cognitiva diária. Sem o fazer, até um jovem pode ter dificuldade em raciocinar e memorizar.

Todos nós acreditamos em ideias que nos são transmitidas pela família, amigos e sociedade sem necessitarmos de provas. Por vezes somos nós a criar conceitos errados generalizando com base em exemplos que vemos no dia-a-dia. Na verdade, ser Idoso não significa estar doente ou não ter forças; ser Idoso não é ser teimoso ou um incómodo. Ser Idoso é ser humano e engloba a mesma diversidade de características complexas. As pessoas mais velhas não deixam de ser adultos com personalidade e, como todos, não merecem ser julgadas pela sua idade, aparência ou condição.

Partilhe estas informações para que passem a fazer parte do quotidiano e substituam os mitos!

Entre em contacto connosco

Os campos com * são de preenchimento obrigatório